quarta-feira, 20 de junho de 2018

Bênçãos Que Vêm da Prisão - 17/06/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruru-PE, no domingo, Dia do Senhor, 17/06/2018.


Esboço da Pregação:
Tema: Bençãos Que Vêm da Prisão
Texto base: Efésios 6.21-24

     1) As boas condições de quem está preso por causa de Cristo:
          * O seu estado d’alma
          * A sua atividade

     2) Os frutos de quem está preso por causa de Cristo
          * Ele forma um fiel emissário
          * Ele abençoa os crentes

__________________________

REFLEXÃO:
Socorro, SENHOR (Salmo 12.1)

     A oração em si mesma é notável, pois é curta mas, oportuna, concisa e sugestiva. Davi lamentou a escassez de homens fiéis; por isso, levantou a sua voz a Deus em súplica. Quando a criatura falhou, Davi correu ao Criador. Evidentemente, Davi sentiu a sua própria fraqueza, pois, do contrário, não teria clamado por ajuda. Entretanto, ao mesmo tempo, ele decidiu, sinceramente, se esforçar em benefício da causa da verdade, pois a palavra “socorro” é inaplicável onde nós mesmos nada fazemos. 
     Há muita exatidão, clareza de percepção e intrepidez nesta petição de duas palavras - muito mais, na realidade, que nas longas e incoerentes expansões de certos crentes. O salmista sabia o que estava procurando e onde poderia encontrá-lo. Senhor, ensina-nos a orar desta maneira bendita. Esta súplica é conveniente em aflições providenciais, para crentes que estão sendo provados e descobrem que todos os socorros humanos lhes falharam. 
     Estudantes de doutrinas difíceis podem obter ajuda por elevarem este clamor ao Espírito Santo, o grande Ensinador. Guerreiros espirituais em conflitos interiores podem recorrer ao trono da graça, em busca de reforço; e as palavras desta súplica podem ser um modelo para a petição deles. Por meio desta súplica, aqueles que trabalham na obra do Senhor podem obter graça em tempos de necessidade. Os interessados que estão em dúvidas e alarmados podem apresentar a Deus esta mesma súplica poderosa. 
     De fato, em todos os casos, ocasiões, circunstâncias e lugares, esta súplica será conveniente a almas necessitadas. “Socorro, SENHOR!” será adequado na vida e na morte, no sofrimento e no trabalho, na alegria e na tristeza. 
     Encontramos o nosso socorro no Senhor Jesus. Não devemos ser negligentes e deixar de clamar a Ele. O caráter de Deus nos assegura que Ele não abandonará o seu povo. Seu parentesco como Pai e Esposo nos garante auxílio. O dom do Senhor Jesus é um penhor de todas as coisas boas. E sua infalível promessa permanece: “Não temas, que eu te ajudo” (Isaías 41.13). 
(C. H. Spurgeon)

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Como se Proteger do Inimigo Espiritual - 10/06/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru, no domingo, Dia do Senhor, 10/06/2018.

OUVIR ou BAIXAR

Esboço da Pregação:
Tema: Como se proteger do inimigo espiritual
Texto base: Efésios 6.14-20

Divisão:
     1) Usando adequadamente as armas de defesa
          * Use a verdade em todas as coisas
          * Seja justo em todo o seu proceder
          * Ande por caminhos retos
          * Ande confiado em Jesus
          * Lembre-se que você é um salvo
     2) Atacando com as armas infalíveis
          * A escritura
          * A Oração
__________________________________

Reflexão:
Para o Senhor vivemos. (Romanos 14.8)
    
   Se Deus o quisesse, cada um de nós teria sido levado ao céu no momento da conversão. Não era absolutamente necessário, em nossa preparação para a imortalidade, que nos demorássemos neste mundo. É possível uma pessoa ser levada ao céu e ser encontrada pronta a tomar parte da herança dos santos na luz, mesmo que ela tenha acabado de crer em Jesus. 
     É verdade que nossa santificação é um processo longo e contínuo, e não seremos aperfeiçoados até que abandonemos nosso corpo e adentremos o véu; mas, apesar de ter o Senhor desejado fazer assim, Ele poderia ter mudado o nosso estado, da imperfeição para a perfeição, e nos transportado imediatamente ao céu. 
     Então, por que estamos aqui? Nosso Deus manteria qualquer de seus filhos fora do Paraíso por um momento além do necessário? Por que o exército do Deus vivo ainda está no campo de batalha, quando apenas uma ordem poderia lhe dar a vitória? Por que seus filhos ainda estão vagueando aqui e ali, por um labirinto, quando uma única palavra de seus lábios os traria ao centro de suas esperanças no céu? 
     A resposta é: eles estão aqui a fim de viverem para o Senhor e trazerem outros ao conhecimento do amor dele. Estamos neste mundo como semeadores da boa semente; como aradores, para sulcar a terra não-cultivada; como arautos, para proclamar a salvação. 
     Estamos aqui como o “sal da terra” (Mateus 5.13), a fim de sermos uma bênção para o mundo.
     Estamos aqui para glorificar a Cristo em nossa vida diária, e trabalhar para Ele e cooperar com Ele (ver 2 Coríntios 6.1). 
     Tenhamos certeza de que nossas vidas cumprem esses objetivos. Vivamos com seriedade, utilidade e santidade, para o louvor da glória da graça dele (ver Efésios 1.6). Entrementes, esperamos estar com Ele e cantamos diariamente: Meu coração está com Ele em seu trono, E mal pode a demora aguentar; A cada momento esperando ouvir a voz, “Levanta-te, vem sem tardar!” (C. H. Spurgeon)

Série de Mensagens do Pr. Josafá Vasconcelos

Série de mensagens proferida pelo Pr. Josafá Vasconelos, do púlpito da Igreja Batista da Graça, no sábado e domingo, dias 02 e 03/06/2018, por ocasião do aniversário da Igreja Batista da Graça

Para BAIXAR ou OUVIR as mensagens, é só clicar sobre elas:

Sábado à noite, 2/6/2018: A TRÍADE DE TODOS OS SANTOS: GLÓRIA, HUMILHAÇÃO, GLÓRIA

Domingo pela manhã: MORTE: O INGRESSO PARA SE ENTRAR NO REINO DE DEUS

Domingo à noite: O DECRETO ELETIVO DE DEUS

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Como Reagir Adequadamente à Carta aos Efésios - 27/05/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru-PE, no domingo, Dia do Senhor, 27/05/2018.

OUVIR ou BAIXAR

Esboço da Pregação:
Tema: Como reagir aos ensinamentos da carta de Efésios
Texto base: Efésios 6.10-13

     1) Fortalecer-se só no Senhor
          * Nas lições ensinadas;
          * Nas lições não tratadas.

     2) Revestir-se da armadura de Deus
          * Aceitar a armadura oferecida por Deus;
          * Não capitular diante das ciladas do inimigo.

     3) Capacitar-se para vencer no dia mau
          * Somente a armadura de Deus é eficaz para vencermos;
          * Somente a armadura de Deus nos torna inabaláveis depois da vitória.
_________________________________________________________

Reflexão:
Morava Mefibosete em Jerusalém, porquanto comia sempre à mesa do rei. 
Ele era coxo de ambos os pés. 
(2 Samuel 9.13)
     Mefibosete não era um belo ornamento para a mesa de um rei; apesar disso, ele tinha lugar permanente nas refeições de Davi, porque este podia ver no rosto de Mefibosete os traços do amado Jônatas. Assim como Mefibosete, podemos clamar ao Rei da Glória: “Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu?” (2 Samuel 9.8). 
     Mas Deus nos favorece proporcionando-nos a comunhão consigo mesmo, porque vê em nós a semelhança de seu mui amado Jesus. O povo do Senhor é querido por causa de Outro. Esse é o amor que o Pai tem para com o seu Filho unigênito. Por amor a Jesus, Deus exalta os humildes irmãos dele, retirando-os da insignificância para o companheirismo celestial, outorgando-lhes suprimento real e posição de nobreza. 
     A imperfeição deles não os impedirá de desfrutarem seus privilégios. O aleijado é herdeiro, do mesmo modo como se pudesse correr à semelhança de Asael “era ligeiro de pés, como gazela selvagem” (2 Samuel 2.18). 
     Nossa justiça não manca, embora nossa força possa mancar. A mesa de um rei é um esconderijo nobre para pernas coxas, e no banquete do evangelho aprendemos a nos alegrar nas enfermidades porque o poder de Cristo repousa sobre nós. Entretanto, defeitos graves podem manchar a personalidade dos mais amados santos de Deus. 
     Os santos cuja fé é fraca e cujo conhecimento é escasso são grandes perdedores. Estão expostos a muitos inimigos e não podem seguir o Rei aonde quer que vá. Esta enfermidade frequentemente surge a partir de quedas. 
     A má nutrição no início da vida cristã geralmente faz com que os novos convertidos caiam em um tipo de desânimo do qual nunca se recuperarão, e pecados, em outros casos, faz com que ossos sejam quebrados. 
     Senhor, ajuda o manco a saltar como um veado e satisfaz todo o teu povo com o pão da tua mesa. 
(C.H.Spurgeon)

Os Sinais de Um Crente Cheio do Espirito Santo - 4ª Parte - A Relação de Trabalho - 20/05/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru-PE, no domingo, Dia do Senhor, 20/05/2018.

OUVIR ou BAIXAR

     Esboço do Sermão:
          1 – Os trabalhadores se submetem aos patrões
               * Obedecendo ao patrão como obedece a Cristo;
               * Trabalhando para Deus, na presença de Deus;
               * Trabalhando de boa vontade, como para Deus;
               * Trabalhando e recebendo a recompensa de Deus.
          2 – Os patrões se submetem aos trabalhadores
               * Não ameaçando os trabalhadores;
               * Reconhecendo que Deus é o patrão de todos;
               * Reconhecendo que Deus não faz acepção de pessoas.

____________________________________________

Reflexão:
   As Maravilhas da Tua Bondade (Samos 17:7)
          Quando fazemos o bem com o coração, nós o realizamos de fato. Mas, geralmente falhamos em dar com o coração. O nosso Senhor e Mestre não age assim. Os favores dele sempre são realizados com o amor do seu coração. 
          O Senhor Jesus não nos envia a carne fria ou as migalhas da mesa de sua magnificência. Em vez disso, o Senhor Jesus mergulha o nosso bocado em sua própria tigela, temperada com as especiarias de suas evidentes afeições. Quando Ele coloca os penhores de ouro de sua graça na palma de nossas mãos, Ele acompanha a dádiva com tal aperto afetuoso de nossas mãos que a forma como Ele dá é tão preciosa quanto a dádiva. 
          O Senhor Jesus entrará em nosso lar, cumprindo seus propósitos de bondade, mas não agindo como alguns visitantes fazem para com os pobres em suas choupanas. Ele se assentará ao nosso lado e não menosprezará nossa pobreza nem repreenderá nossa fraqueza. 
          Que palavras confortadoras são estas, provenientes dos lábios de nosso Senhor! Que abraço afetuoso Ele estende sobre nós! Se Ele tivesse nos dado centavos, a forma de Ele nos dar os tornaria dourados. Mas como realmente acontece, as valiosas dádivas são enviadas em cestas de ouro por meio de sua agradável carruagem. 
          É impossível duvidarmos da sinceridade deste amor, visto que existe um coração sangrento estampado na face de todos os caridosos atos de bondade dele. O Senhor Jesus nos dá liberalmente (ver Tiago 1.5), não censurando-nos com o menor indício de que estamos sendo um fardo para Ele; não olhando seus pensionistas friamente, mas em vez disso, o Senhor Jesus se regozija em sua misericórdia, instando a nos aproximarmos dele, enquanto compartilha sua vida conosco. 
          Há uma fragrância em seu nardo que nada além de seu coração pode produzir. Existe uma doçura no Senhor Jesus que não poderia existir, se não estivesse mesclada com a própria essência do amor dele mesmo. 
          Oh! A rara comunhão que tal sinceridade singular produz! 
          Que estejamos continuamente provando e conhecendo a bênção dessa doçura! 
(C. H. Spurgeon)

terça-feira, 24 de abril de 2018

Os Sinais de Um Crente Cheio do Espírito Santo - 3ª Parte - A Relação Paternal

      Sermão do Pr. Edson Rosendo de Azevedo, proferido do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruru-PE, no domingo, Dia do Senhor, 22/04/2018

OUVIR ou BAIXAR

ESBOÇO DA PREGAÇÃO
Tema: Os sinais de um crente cheio do Espírito Santo (3ª. Parte) - A relação paternal
Texto Base: Efésio 6:1-4

Divisão:
1) Os filhos se submetem aos pais (v.1-3);
2) Os pais se submetem aos filhos (v.4).
___________________________________________
REFLEXÃO:
Deus, porém, com a sua destra, o exaltou. (Atos 5.31)

     Jesus, o nosso Senhor, que foi crucificado, morto e sepultado, agora está assentado no trono de glória. O mais elevado lugar que o céu pode oferecer é dele por direito incontestável. É doce a lembrança de que a exaltação de Cristo no céu é representativa. O Senhor Jesus está exaltado à direita do Pai. 
     Como Jeová, Ele possui glórias iminentes das quais as criaturas finitas não podem compartilhar. Como Mediador, o Senhor Jesus está vestido, no céu, das honras que são a herança de todos os santos. Enchemo-nos de deleite ao meditar a respeito de quão íntima é a união de Jesus com o seu povo. Somos realmente um com Ele. Somos membros do seu corpo; e a exaltação dele é a nossa exaltação. 
     O Senhor Jesus tem uma coroa e nos dará coroas. Ele nos dará lugares de honra, visto que venceu e está no trono, ao lado do Pai. Ele não se contenta em desfrutar sozinho de seu trono. À sua direita, tem de estar sua noiva adornada com ouro. Ele não pode ser glorificado sem a sua noiva. 
     Olhe para Jesus agora. Permita que os olhos da fé O contemplem com as muitas coroas na cabeça. Um dia, você será semelhante a Jesus, quando vê-Lo como Ele é. Você não será tão poderoso ou tão divino como Ele é, mas, em certa medida, compartilhará das mesmas honras e desfrutará da mesma felicidade e da mesma dignidade que Ele possui. 
     Contente-se em viver, por breve tempo, como alguém desconhecido e em fazer seu enfadonho percurso através dos campos de pobreza ou das colinas da aflição. Logo você reinará juntamente com Cristo, visto que Ele nos tornou reis e sacerdotes para Deus (ver Apocalipse 1.6) e reinaremos com Ele para todo o sempre. 
     Que pensamento maravilhoso para o filho de Deus! Temos a Cristo, agora, como nosso glorioso Representante na corte celestial. Em breve, Ele voltará e nos receberá para Si mesmo, a fim de estarmos com Ele no céu, contemplarmos sua glória e compartilharmos do regozijo dele. 
(C. H. Spurgeon)

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Os Sinais de um Crente Cheio do Espírito Santo - 2ª Parte - 08/04/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo, no domingo, Dia do Senhor, 08/04/2018, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru-PE.

OUVIR ou BAIXAR

Esboço da Pregação:
Tema: Os sinais de um crente cheio do Espírito Santo (2ª parte)
Texto base: Efésios 5.21-33

Divisão:
     1) Ele vive em sujeição mútua (v.21);
     2) A esposa se sujeita ao marido, sendo-lhe submissa (v.22-33);
     3) O marido se sujeita à esposa, amando-a (v.25.33).

______________________

Porque, se em lenho verde fazem isto, que será no lenho seco? (Lucas 23.31)
     Dentre outras interpretações desta sugestiva pergunta, a seguinte é repleta de ensinamento: “Se Cristo, o inocente substituto dos pecadores, sofreu, o que será quando o próprio pecador – o lenho seco – cair nas mãos do Deus irado”? 
     Ao ver a Jesus no lugar dos pecadores, Deus não O poupou. Quando Deus encontrar os não-regenerados, também não os poupará. 
     Ó pecador, Jesus foi levado à cruz pelos inimigos dele; da mesma forma, você será levado ao lugar que lhe está designado. Jesus foi abandonado por Deus. E, se Deus abandonou a Jesus, por vê-Lo como pecador apenas por causa da imputação, quanto mais abandonado será você! 
     “Eloí, Eloí, lamá sabactâni?” (Marcos 15.34) – que grito terrível! Mas, qual será o seu clamor, quando você disser: “Ó Deus, ó Deus, por que me abandonaste”? A resposta virá: “Rejeitastes todo o meu conselho e não quisestes a minha repreensão; também eu me rirei na vossa desventura, e, em vindo o vosso terror, eu zombarei” (Provérbios 1.25-26). 
     Se Deus não poupou o seu próprio Filho (ver Romanos 8.32), quanto menos Ele poupará a você! Quantas chicotadas de açoite ardente você não sofrerá quando sua consciência o golpear com todos os seus terrores? 
     Pecadores cheios de justiça própria, quem ficará no lugar de vocês quando Deus afirmar: “Ó espada, desperta, levanta-te contra o homem que Me rejeitou. Fere-o e deixa-o sentir dores para sempre”? 
     Em Jesus cuspiram. Ó pecador, quão imensa será a sua vergonha! Não podemos resumir em poucas palavras todos os sofrimentos que sobrevieram ao Senhor Jesus, que morreu por nós. 
     Portanto, é impossível descrevermos o oceano de pesares que sobrevirá ao seu espírito, se você morrer na situação em que se encontra agora. Certo é que você morrerá, então, pode ser agora. Por meio das agonias do Senhor Jesus, por meio das suas feridas e do seu sangue, impeça que recaia sobre você a ira de Deus que está por vir! 
     Creia no Filho de Deus, e você jamais perecerá.. (C. H. Spurgeon)

segunda-feira, 2 de abril de 2018

Os Sinais de Um Crente Cheio do Espírito Santo - 1ª Parte - 01/04/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, no domingo, Dia do Senhor 01/04/2018, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru-PE, baseado em Efésios 5:18-20.

OUVIR ou BAIXAR

Esboço da Pregação:
Tema: Os sinais de um crente cheio do Espírito Santo
Texto base: Efésios 5.18-20
Divisão do Sermão:
1) Ele é sóbrio (v.18);
2) Ele louva a Deus com os Salmos (v.19);
3) Ele é agradecido (v.20).

________________________

Reflexão:
Beija-me com os beijos de tua boca. (Cantares 1.2)
     Por muitos dias temos habitado na paixão do Senhor, e por algum tempo, futuramente, nos demoraremos lá. 
     No começo de um novo mês, procuremos ter, em relação a nosso Senhor, os mesmos desejos que ardiam no coração da esposa eleita. Observe como ela se move imediatamente em direção a Ele. Não há palavras introdutórias; Ela nem mesmo menciona o nome dEle. De uma vez ela já discorre sobre o âmago da questão, pois fala dele como o único “ele” no mundo para ela. Quão ousado é o amor dela!
      Foi imensa a condescendência que permitiu a irmã de Lázaro ungir com nardo os pés do Senhor. Foi o amor abundante que permitiu a gentil Maria assentar-se aos pés do Senhor e aprender dEle. Mas aqui, o amor, o forte e fervoroso amor aspira maiores provas de estima e mais íntimos sinais de companheirismo. 
     Ester tremeu na presença do rei Assuero, mas a esposa, com regozijo e liberdade de amor perfeito, não conhece qualquer temor. Se temos recebido o mesmo Espírito de liberdade, podemos fazer esta mesma petição. 
     Por beijos, pretendemos nos referir às diversas manifestações de afeição pelas quais o crente passa a desfrutar do amor de Jesus. Do beijo da reconciliação, começamos a desfrutar na conversão e ele era doce como o mel que pinga do favo. O beijo da aceitação ainda arde em nossa face, pois sabemos que Ele, por meio de sua graça abundante, aceitou-nos juntamente com as nossas realizações. O beijo da comunhão, nós o desejamos todos os dias, até que ele se tome o beijo da recepção, que remove a alma da terra. E o beijo da consumação enche a alma com o gozo do céu. 
     A fé é o caminho do peregrino, mas a comunhão é a fonte da qual ele bebe incessantemente. 
     Ó, amante de nossa alma, não seja para nós um estranho; permita que os lábios da tua bênção encontrem os lábios de nossos pedidos. Permita que os lábios de tua plenitude toquem os lábios de nossa necessidade e, imediatamente, sentiremos o efeito de cura de teu beijo. (C. H. Spurgeon)

quarta-feira, 28 de março de 2018

O Perfil de um Crente Prudente - 25/03/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, no domingo, Dia do Senhor, 25/03/2018, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruru-PE.

OUVIR ou BAIXAR
Síntese do Sermão:
Tema: O Perfil de um Crente Prudente
Texto base: Efésios: 5:15-17


Divisão:
     1) Procede como sábio (v.15);
     2) Aproveita o tempo (v.16);
     3) Procura compreender a vontade de Deus (v.17).

____________________________________________

Reflexão: 
Com um beijo trais o Filho do Homem? (Lucas 22.48)
     Os beijos de um inimigo são enganosos. Esteja em alerta quando o mundo lhe mostrar uma face amável, pois ele há de traí-lo com um beijo, assim como o fez ao seu Senhor. Sempre demonstra grande reverência pelo cristianismo, o homem que está prestes a apunhalá-lo. 
     Acautele-se da hipocrisia disfarçada que é o escudeiro da heresia e da infidelidade. Reconhecendo a poder de engano da impiedade, seja sábio como as serpentes para detectar e evitar os desígnios do inimigo. 
     O jovem destituído de entendimento foi levado ao erro pelo beijo da mulher estranha (ver Provérbios 7.13). Que em todo este dia a sua alma esteja tão graciosamente instruída, que “o agradabilíssimo falar” do mundo não terá qualquer efeito sobre você. Espírito Santo, não permita que eu, um débil filho de homem, seja traído com um beijo! O que acontecerá, se você se tornar culpado do mesmo pecado maldito que Judas Iscariotes – o filho da perdição – (ver João 17.12) cometeu? 
     Você foi batizado em nome do Senhor Jesus; é membro da manifesta igreja dele e participa da Ceia do Senhor. Tudo isto representa os muitos beijos dos seus lábios. Você é sincero neles? Se eu não for sincero, sou um vil traidor. 
     Você vive no mundo de maneira tão descuidada como vivem as outras pessoas e, apesar disso, confessa ser um seguidor de Jesus? Se isto é verdade, você expõe a religião ao ridículo e conduz homens a falar mal sobre o nome santo pelo qual é chamado. Com certeza, você está agindo de modo incoerente. Está sendo um Judas. Seria melhor você nunca ter nascido (ver Marcos 14.21). Eu sou fiel nesta questão? Então, Senhor, mantém-me assim. 
     Ó Senhor, torna-nos sinceros e verdadeiros. Preserva-nos de todo caminho falso. Nunca permita que venhamos a trair nosso Salvador. Ó Jesus, nós Te amamos. E, embora Te entristeçamos com frequência, desejamos permanecer fiéis até à morte. Ó Senhor, guarda-me de professar seguramente minha fé e depois cair no lago de fogo, por ter traído meu Mestre com um beijo. (C. H. Spurgeon)

terça-feira, 13 de março de 2018

A Lei de Deus e o Viver Diário - Como proceder diante dos adúlteros - 11/03/2018

     Sermão proferido pelo Pr. Edson Rosendo de Azevedo, no domingo, Dia do Senhor, 11/03/2018, do púlpito da Igreja Batista da Graça em Caruaru-PE.

OUVIR ou BAIXAR

Esboço do Sermão:
Tema: A Lei de Deus no viver diário: como proceder diante dos adúlteros
Texto base: Efésios 5.7-14

Divisão do Sermão:
          1) Não comungar com os adultérios dos ímpios (v.7, 11-12);
          2) Mostrar aos adúlteros o nosso viver santo (v.8-10);
          3) Chamar os adúlteros ao arrependimento (v.13-14).

__________________________________________

O Pecado... Sobremaneira maligno (Romanos 7:13)
     Devemos nos acautelar de pensamentos levianos a respeito do pecado. Os novos convertidos possuem uma santa timidez e um piedoso temor de não ofenderem a Deus. Entretanto, logo as flores excelentes destes primeiros frutos maduros são removidas pelo tratamento áspero do mundo que nos cerca. 
     Infelizmente, é verdade que mesmo um crente pode se tornar tão insensível, que o pecado, o qual antes o alarmava, não lhe cause mais temor. É de maneira progressiva que os homens se tornam familiarizados com o pecado. O ouvido no qual o canhão tem ribombado com frequência não escutará sons leves. 
     A princípio, um pecado insignificante nos causa alarme, mas logo dizemos: “Isto é um pecado insignificante, não é?” Então, surge outro pecado, mais sério; depois, outro – e, pouco a pouco, começamos a reputar o pecado como um pequeno erro, sem importância. Em seguida, brota a presunção ímpia: “Não temos caído em pecados escandalosos. É verdade que tropeçamos um pouco, mas permanecemos firmes nas coisas mais importantes. Proferimos uma palavra impura; todavia, em sua maior parte, a nossa conversa tem sido consistente”. Deste modo, justificamos o pecado e o disfarçamos, chamando-o por nomes elegantes. 
     Crente, cuide para que não pense no pecado de forma frívola. Tenha cuidado para não cair aos poucos. O pecado é insignificante? Não é um veneno? As raposinhas não devastam os vinhedos? (ver Cântico dos Cânticos 2.15) Pequenas batidas não são capazes de derrubar imensos carvalhos? O contínuo fluir das gotas de água não desgasta as rochas? O pecado é algo insignificante? 
     O pecado vestiu a cabeça do Redentor com uma coroa de espinhos e feriu o coração dele! Fez o Salvador sofrer tortura, amargura e angústia. Se você pudesse avaliar o mais leve pecado em escalas de eternidade, fugiria dele, como de uma serpente, e aborreceria a menor aparência do mal. 
     Considere todo pecado como aquilo que crucificou o seu Senhor e você o reconhecerá como algo “sobremaneira maligno”. (C. H. Spurgeon)